Missão Nicarágua – Waves

 

Projeto Rekombinando desembarca nas esquerdas da Nicarágua.

Dia de Aduana é sempre uma missão. Tentamos sair cedo, mas fazer o ”packing” arrumação da Kombi nos leva algum tempo. O calor agora também é um super desafio, parece que quanto mais subimos mais calor faz.

Chegamos em Popoyo já era noite, e no outro dia fomos ver as opções de locais para ficar e ondas que teríamos pelos próximos oito dias. Com ajuda de uma amiga, Natalie, que mora na praia de Colorado, encontramos uma casa na Hacienda Iguana, bem próxima ao pico de onda.

Nesta região da Nicarágua as ruas são de terra e muitas praias são fechadas pelos condomínios construídos pelos estrangeiros. É preciso estar hospedada nestes lugares para poder entrar. Esta situação nos perturbou bastante, percebemos que as pessoas locais têm condições de vida muito pobres e que a o turismo é bastante segregador.

Por ali surfamos em uma praia que estava rolando ondas consistentes com vento forte desde manhãzinha, chamada Pangas Drop, que rola uma boa esquerda e algumas direitas. Por ali conhecemos Aura, uma surfista venezuelana que tem um sítio na Hacienda e trabalha pela sustentabilidade do local através da permacultura e do turismo ecológico.

Oficina reúne crianças de escola local.

Logo nos conectamos com ela e começamos a investigar uma possível conexão para as oficinas na escola pública em frente ao sítio. Conversamos com a professora da escola e junto a ideias e apoio da Aura, fizemos uma linda oficina de educação ambiental sobre árvores nativas, plantação de mudas na escola e arte em placas com nomes das árvores para o sítio. Ao final rolou skate no tubo de lona azul e as crianças curtiram muito.

Percebemos que as instalações dos banheiros estavam muito precárias, então fizemos uma campanha para conseguir fundos para escola, junto a NSR, uma imobiliária da Hacienda Iguana que tem outros negócios além de uma loja de surfe.

Os outros dias entrou um swell com ondas mais consistentes, então surfamos Popoyo, que abria uma direita boa e uma esquerda até o canal, e na Playa Colorado, uma direita e esquerda forte, rápida e tubular. Uma verdadeira escola para nós.

Alegria por mais uma viagem de kombi pela América Central.

Por ali ficamos uns dias trabalhando nas imagens e na campanha, curtimos uma fogueira na beira da praia com direito a pôr do sol, estrela cadente, música e violão. Um dia resolvemos pegar um barco e conferir umas praias diferentes, Lances Left foi a que surfamos, as condições não eram as melhores mas deu para se divertir por lá também. Até a Gabriela foi remando com o tio Marcinho até o “fundão”.

Pegamos a estrada novamente rumo ao Norte. Fomos dar uma conferida em uma praia chama Miramar, ficamos em um Hostel muito legal onde fomos recebidas por brasileiras fortes e encantadoras. Beatriz é dona do Hostel Odoyá, que fica em frente de ondas muito boas e tubulares, ela é uma brasileira que se apaixonou pelo local e por lá ficou. Parceira da filmmaker Lorena Montenegro, da Moana filmes, fizemos umas imagens de surfe e nos inspiramos em sua história de viagens, surfe e trabalho.

Rumamos a uma cidade perto da fronteira para no outro dia estarmos bem descansados para quatro aduanas que teríamos pela frente. Saímos cedo e fizemos a saída da Nicarágua e entramos em Honduras.

Em Honduras viajamos 200 quilômetros, estávamos apreensivas com a passagem por este país, mas fomos muito bem recebidas e as estradas eram bem melhores do que pensávamos. Fizemos a saída e entramos novamente em El Salvador. Foi um dia inteiro de estrada e burocracias. No final tudo deu certo.

O Projeto Rekombnando conta com apoio da Liquidtrips, SalGaropaba, Cia do Fusca e materiais Tris. Para acompanhar as viagens do Projeto, acesse o site Rekombinando ou siga o perfil @rekombinando no Instagram.

Source: Missão Nicarágua – Waves

Deixe uma resposta