Curso de Fotografia de Surf com Sebastian Rojas

Embarquei  para SP  na quinta feira  depois do meio dia. Quem me buscou no aeroporto de Guarulhos foi o José Eduardo Sanches, fotografo e organizador do evento, daí passamos no Guarujá pegar o Sebastian e seguimos para a praia de Maresias , na pousada Canto Mágico, onde rolou o evento.
 
O cara chegou de Uno, onde tinha já o equipamento dele, ai subi com meu equipamento, e ficou meio cheio, ai embarcou o Sebastian com muito mais equipamento ainda, ou seja o mini porta malas do Uninho encheu até o teto e o banco de trás mal dava espaço para o Sebastian sentar.

Chegamos com chuva, e sexta  choveu o dia todo, o dia foi de aula teórica, sobre fotografia, uma boa medida para  nivelar o pessoal nesse tema.
Alem de tratar temas básicos como fotometria  etc., forneceu valiosas dicas de como conseguir boas fotos de surf. Sábado começou a parte prática do workshop,  o pessoal tava mais a vontade, mais enturmado  no total sete alunos, seis caras e uma guria. Na pousada o café da manhã começa oito e meia da manhã, muito tarde para quem que dar uma olhada no mar bem cedo.

Como todo banho de surfista onde tem um grupo, visitamos varias praias e depois das longas considerações de todo o pessoal envolvido, decidimos ficar na praia da Baleia, por ser a mais indicada ( típico de trip de surf, não?). As ondas eram de um metro mais ou menos (eu acho),  e fomos fotografando de fora dágua, com as maravilhosas lentes de 600mm , de propriedade do Sebastian e do Jose. E levei a minha lente de 480mm, e usei ela para fotografar a maior parte do tempo, assim como a minha caixa estanque para fotografias dentro dágua. No fim do curso devíamos apresentar um conjunto de fotografias de diversas categorias como :

– Fotos de ação , tiradas dentro e fora da água.
– Fotos de paisagem.
– Foto de upline.

E tinha também a categoria  “delírio”  nos a chamaríamos de colírio tal vez.  Sabe, aquelas gostosas da praia?  Com a lentes tele ficava bem fácil  conseguir fotos muito legais.

Bem chegou o momento de entrar na água, eu perguntei se a gente  procurava alguma região para facilitar a entrada, tipo canal ou algo assim.. Que nada, lá dentro estão os surfistas e nos entramos direto. Tomei umas dez ondas na cabeça, não consegui varar, com pé de pato e a câmera, o espumão me pegava e eu era jogado lá para fora.Ai começou o deixa para lá, o Sr. não  precisa entrar, e todas essas bobagens que se falam para dizer que tu tá velho para isso …sabe?

Eu descansei, sentei na areia até repor o fôlego, e pensei, pô não vim do sul para passar vergonha aqui, alem do mais, paguei para aprender a tirar fotos de surf, não ia deixar assim. Ai peguei a câmera, e foi entrando, aguentei de pé  todo o que deu, furei umas três ondas, aproveitei uma vala, e pronto tava no line up. O professor, que  já tinha saído pensando que o velinho aqui não entraria, teve que voltar… Ai fiquei umas duas horas no mar, boiando com a câmera , aprendendo a me posicionar e a proceder para tirar as fotos. O pessoal gostou que eu entrasse  no sábado, mas domingo não entrei, já tinha minhas fotos e os conhecimentos, e tinha uma viagem de noite.

Domingo caímos em Maresias, esperávamos um terral para que as ondas (1m)  formassem tubos, mas o vento que estava lateral (leste)  foi virando para sul devagarzinho e ficou maral o resto do dia. Resultado,  ondas cheias,  mas sem tubos e bastante fechadeiras, bom para fotografar desde a praia. Sem tubos o que se apresenta são aéreos, batidas e flooters. Por sinal tinha uma grande proporção de longboards na água, sempre.

Outro detalhe é o crowd de fotógrafos free lancer na areia, isso não tinha visto ainda aqui no sul. Devo mencionar que a galera era tudo gente fina, brincadeiras o dia todo, um clima muito bom de camaradagem e colaboração. Outro detalhe a ser mencionado são os borrachudos, nunca vi tantos, mordiam a gente no meio da praia, terrível!

Domingo de tarde foi o encerramento do curso, e depois disso um dos participantes, que é local da região, e pescador de profissão, o Alexandro (alias Pereirinha, ou Robalo), levou uns badejos e umas garopas pescadas por ele mesmo  e fez na grelha, envolvidos numa folha de bananeira, muito bom mesmo, nota dez, um  assador de peixe muito melhor do que eu  …

Clique aqui para ver algumas fotos do curso.

Posted in Sem categoria