Como medir a altura das ondas

Mike Parsons encara swell histórico em Cortes Banks, Califórnia (EUA). Foto: Robert Brown / Billabongxxl.com

Mike Parsons encara swell histórico em Cortes Banks, Califórnia (EUA). Foto: Robert Brown / Billabongxxl.com

Esta é uma questão realmente complicada no universo do surf. Existe uma cultura de se medir as ondas de maneiras diferentes para cada região.

O correto seria se medir a onda quando ela está sendo surfada, e comparar o tamanho da parede da onda com o tamanho do surfista, o que daria um parâmetro confiável para se obter o tamanho real da onda, que a altura do surfista pode ser medida, ou pelo menos deduzida do tamanho médio de um ser humano adulto.

Em algumas regiões do mundo, como na costa leste americana já se aplica esta regra para o tamanho das ondas, que é dada em uma escala relativa ao tamanho do surfista, por exemplo: altura do quadril, altura do ombro, altura da cabeça, acima da cabeça, duas vezes acima da cabeça, etc.

Desta forma a altura da onda é simplesmente medida observando-se uma pessoa a surfá-la.

A medida chamada de "escala Havaiana" das ondas consta que foi criada no litoral Norte de Oahu, no Hawaii em torno dos anos 50 pelos surfistas havaianos e locais, eles é que eram encarregados de fornecer diariamente aos veículos de comunicação a altura das ondas, e queriam digamos "desencorajar" o crowd do litoral Sul da ilha a frequentar o famoso North Shore, desta forma eles inventaram esta regra de informar a altura das ondas medida "pelas costas" da mesma, para isto eles não precisavam entrar no mar para medir realmente as ondas pelas costas, eles simplesmente mediam a parede frontal da onda, dividiam o tamanho por 2 e ainda subtraiam 3 pés, o que dava uma altura bem menor que era considerada a altura das "costas" da onda, esta era a altura a ser informada aos seus companheiros do South Shore, serviço que era prestado antigamente por surfistas residentes no North Shore e hoje em dia fica a cargo de Salva-Vidas devidamente treinados para tal.

Desta forma os surfistas residentes na "town", a populosa cidade de Honolulu e arredores, poderiam achar que o mar estava pequeno e desistir de fazer a viagem de 1 hora de carro que separa as duas faces da ilha.

Depois de muitos incidentes de afogamentos de banhistas que iam ao lado norte da ilha com vontade de tomar banho de mar, e enganados pelo tamanho subestimado, achavam que estava seguro para nadar, o governo havaiano proibiu a divulgação desta "altura havaiana" nos veículos de comunicação, e hoje em dia o surf report nas ilhas mostra a altura da parede frontal das ondas.

Mas mesmo assim a cultura de surf havaiana é muito forte e esta medida sobreviveu ao longo do tempo, sendo adotada apenas dentro da comunidade do surfe para indicar a altura das ondas.

Cientificamente falando a altura de uma onda é medida do seu cavado frontal até a sua crista, sendo que o cavado frontal é o desnível que uma onda provoca no mar logo antes de sua chegada, ou seja, corresponde a altura da parede frontal da onda, que é a surfada.

É a medida oficial adotada na previsão das ondas, sendo que a previsão que nós usamos indica a altura oceânica da onda, acontece que quando a onda chega ao litoral ocorrem vários efeitos como refração, empinamento, atrito, interação entre ondas, sombreamento, etc.. que acabam deformando a onda até que ela atinja o pico de surfe, aonde irá quebrar com uma altura chamada "altura do surfe", geralmente diferente da altura oceânica, levando-se em conta os diversos parâmetros que influenciam os efeitos de litoral, como o período e a direção da ondulação, bem como a topografia submarina do litoral, o que torna este cálculo extremamente complicado e demorado.

Existem alguns programas capazes de fazê-lo, chamados de modelos de ondas de águas rasas, levam em contas todos estes fatores, mas são extremamente demorados para serem executados, e atualmente possuem resultados duvidosos, principalmente porque a topografia submarina é de fundamental importância para a exatidão dos cálculos, e é muito raro se ter mapas detalhados do fundo do mar próximos ao litoral.

Por enquanto que estes programas não se modernizam e se tornam mais eficientes usa-se a altura oceânica, juntamente com a direção e o período para se estimar a altura das ondas no litoral. Com uma certa experiência e alguns testes chega-se a uma correspondência da altura oceânica com a altura do surfe, e como a cultura havaiana ainda sobrevive, divida por dois e subtraia 1 metro pra se tornar um casca- grossa!!!

Mais informações sobre o assunto no site uruguaio Paipo e Surfguru !!!

Posted in Sem categoria